13 junho 2006

Ventos de mudança

Estava prestes a soltar-se como presa por frágeis fios invisíveis. De repente solta-se das suas amarras e atira-se, cortando o ar silenciosamente, numa queda rápida e sossegada. O fim é uma enorme explosão em surdina.

Este gotejar deixa-me louco. O ritmo pausado e constante da água assinala a passagem do tempo e cada gota é menos um segundo de vida.

Apesar da clausura sinto os ventos da mudança. Grandes interesses se jogam encobertas por misteriosas névoas, plenas de encenação e premeditação. Correm rumores na prisão que um novo regente está em incubação, mas as mudanças fazem-se lentamente pois se não queremos que o sapo salte fora da panela temos que cozê-lo em lume brando.

O melhor é abrigar-se aos primeiros sinais da borrasca.

O Regresso...Parte 1

Eu, estou aqui sentado no cadeirão preto, olho em frente e vejo o motorista charmoso com um ar abatido, cada vez mais magro com um ódio dentro de si contra os Iluminados que o fazem gemer e espumar-se pela boca. O traje do charmoso é escuro, tal e qual ao de um pobre velho no funeral de sua patroa. Charmoso, deixa-me perplexo com toda a sua força e raiva contra a sua nova ferramenta de trabalho o “Windows Internet Development“, a sua raiva é imensa contra a tal ferramenta. É o pioneiro nesta prisão de tão horrível ferramenta.
Hoje em dia os presos estão em constante mutação de celas, saltam que nem papoilas saltitantes entre as celas.
Vou falar agora um bocado sobre os novos colegas de cubículo, são eles o Carpinteiro, o Sobretudo, o Insane e a Madura. Eles são jovens simpáticos que se entendem muito bem com o iluminado, que vou falar mais à frente que é um demónio na terra, mas com ideias geniais de pessoas que são originárias de um pocilga de leitões.
O Carpinteiro é um jovem odiado pelos iluminados, por ser um preso com grandes contactos no mundo da carpintaria e com um visual extremamente revolucionário para esta prisão arcaica, carpinteiro mantêm um caso secreto com a madame que faz as limpezas nas cenas, trazendo sempre bolinhos fresquinhos para ele se alimentas todas as manhas.
O Sobretudo ao invés é uma pessoa adorada pelos iluminados que fazem dele um exemplo a seguir pela massa prisional, é um preso sempre com um ar agoniado, andando sempre com os seus óculos da moda, chamados Raibantes. O Insane é um jovem muito risonho, que está a tentar descobrir o código de abertura da porta, ainda não consegui mas vai tentando com grande dedicação. A Madura é uma pessoa muito observadora e sempre com uma resposta na ponta da língua, é uma pessoa do sexo oposto como tal, encontra-se sempre em conversa com charmoso, são grandes amigos.

Continua…

22 agosto 2005

Recordações da minha aldeia 1

Esta freguesia, é plana notando sua inclinação parte para o Poente e parte para o Sul, distante da cidade de Migarães três quartos de légua e da cidade de Marroquinaje duas e um quarto, do sítio da mesma se avista em maior distância a Serra do Gêres, a de Santa Catarina e o Bom Jesus a Senhora do Monte, a Senhora do Porto, o Bom Jesus de Barrozas, a Serra de Carneiro e, mais próxima, a da Falperra; montes de Santa Cristina, Sabroso, Citânia, Souto, Prazins, Brito,Outinho.
O seu clima é saudável, arejado de todos os ventos; a estação do frio mais demorada, sujeita a ventos, trovoadas da parte do Norte as quais são bastante contrárias para os frutos, por serem muitas vezes de pedra, sendo da parte do Nascente são quentes e abundantes o que padece esta freguesia tanto nas estações invernosas como calmosas; sofre chuvas e alguma saraiva de que não resultam estragos; o aspecto das quadras do ano são reguladas segundo as suas estações.
Os animais quadrúpedes desta freguesia e os domésticos de que nos servimos em diferentes vezes são: bois, mulas, éguas, cavalos e jumentos, porcos, gatos, cabras, ovelhas, carneiros e cães; e alguns quadrúpedes bravos que são: raposas, gatos, doninhas, ratos, estes são de três qualidades, uma a que chamam de outonário, outra de
campo e outra que chamam ralas.
Nas dos ribeiros há outros animais répteis como são: cobras,lagartos, sardões.
Alguns insectos com asas como: moscas, grilos, zangões e borboletas.
Também há diferentes aves como são: galinhas, pardelhos, gaios, melros; há diferentes qualidades de pássaros que cantam e faz legião à Primavera como são os pintassilgos, rouxinóis, cucos, rolas, poupas, codornizes, mochos, tordos, serizetas, esta freguesia confina com o Rio Ave que a cerca pelo lado do Poente. Ao Sul, entrando em parte desta freguesia, este é abundante em peixes que são: barbos, escalos, trutas, enguias, bogas.
E quanto a plantas, abundante de couve galega, tronchuda, alfaces, cebolas, nabiças, ervilhas, feijão de subir, batatas.
Os arbustos são carvalhos, castanheiros, macieiras, pereiras, pessegueiro, cerejeira, todas estas dão o seu fruto próprio e nos campos, são avidadas e produzem uvas para vinho e umas e outras se consome afinal em madeira para os edifícios uns e outra para o lume; também há salgueiros, estes se tira a casca para tinta das redes e se
negoceia para diversos portos de mar

18 agosto 2005

Estranho acontecimento

O odor fétido, vindo do fundo do corredor, trespassava as nossas narinas. Qual seria a causa deste cheiro nauseabundo, penso. Ao fundo do corredor ouvem-se passos, alguém se aproxima. O andar miudinho denuncia-o imediatamente, é o viscoso FéFé.

- Caríssimos, vim para me despedir de vocês. Diz na sua voz sibilosa.
- Vou-me embora, vou para outra prisão onde me dão três rações de esterco por dia. Temos que olhar pela nossa vida.

E começou a despedir-se dos presos labendo afincadamente os seus pés.

- Hei-de voltar, para vos visitar, lembrem-se de mim. Despediu-se FéFé. E lá se foi embora, arrastando as enormes orelhas pelo chão.

Para onde irá? Que fará LamaLama agora? Pensei. Do silêncio negro da prisão não vieram respostas.

12 agosto 2005

As cantinas da prisão

Todos os dias, por volta das 12 horas a irmandade reúne-se para almoçar.

Existem várias pias para almoçar, o Armand gosta muito de ir comer à pia dos bragays, que é composta por comida variada, existe desde Granuloma inguinal, donovanose, ucranivox, Linfogranuloma moléstia, Nicolas Favre, bifose armantina entre outros.

O Nimrod é amante de comida dos states, que é normalmente a pia do mac gaitadas que é composto por batato hemorrodias, coca cula, bifanose friteite em oleoise.

Todos os outros meus colegas prisioneiros desta humilde irmandade, gosta de comida variada, tanto come na pia do bragays, como na do mac gaitadas ou em qualquer outro sítio. Somos prisioneiros pouco exigentes, em relação à comida.

Os outros prisioneiros comem em sítios mais variados, nós tentamos ir para pias onde eles não estejam. Por engano um dia destes, o LamaLama veio almoçar connosco foi uma coisa muito esquisita, um ser tão asnático, almoçar com tão ilustres prisioneiros. O LamaLama normalmente alimenta-se de Catapora, Toxoplasmose, Ancilostomose, Dengue e um alimento humano que se chama de Papilomavírus humano, que é um alimento que tem uma substância que faz com que o cérebro seja extinguido. LamaLama é também conhecido como o papa homosapienos.

A primeira tarefa de LamaLama

LamaLama gemeu de tão forte a dor da pancada na sua cara.

- Nunca mais me chames paizinho. Metimelium espumou.

LamaLama chorava compulsivamente, sentia-se novamente sozinho e abandonado, teria que voltar a brincar novamente com os seus dois fieis amigos, uma catota que guardava religiosamente há quinze anos e um mosquito morto.

- Não há tempo para choro, palhaço. Há muito trabalho pela frente, vais rapidamente para finifini e escovarás até ao limite o rei daquela zona backMilk.
- Mexe-te inutil. E LamaLama saltou da cama só tendo tempo para combinar a sua linda camisa rosa fuschia com um calções amarelos torrados, com aplicações lilás.

LamaLama super herói

LamaLama após receber a sua missão das mãos de Metimelium, sentia-se um super humano. Ninguém seria capaz de o parar.

A missão

LamaLama fervilha de contentamento, estava destinado a grandes feitos. LamaLama era o escolhido para um plano de dominação mundial, sentia-se brilhante, inteligente, capaz, um herói em cuecas. Metimelium fitava-o de longe.

Assim que terminou a leitura o papiro autodestruiu-se num chama intensa. Emocionado, com as lagrimas nos olhos, LamaLama vira-se para Metimelium:

- Paizinho

Retrato de LamaLama

LamaLama com 31 anos quando terminou a quarta classe.

Jogos na Prisão

Existe um número significativo de jogos na prisão, o Abade e o meu chefe Funtai, travão semanalmente grandes lutas, o combate é sangrento mas o Funtai leva sempre a melhor. Segundo boatos o Funtai esmaga-o sem dó nem piedade, até à sua rendição, Funtai como representante da irmandade, é visto como um ídolo para os elementos da mesma.

As lutas normalmente são de espada em punho, é visto como um confronto entre o bem e o mal.

O cântico ja célebre é:
FUNTAI,FUNTAI MATA PARA A FRENTE, ÉS O NOSSO ORGULHO. VAMOS PARA A VITÓRIA

Abade e Meiras

Abade e Meiras contemplam o pátio da prisão.


LongPlay

LongPlay é o recluso 3,8. Porquê 3,8? Porque o LongPlay bebe duas vezes por ano 3,8 litros de uma substância oleosa e viscosa. Diz ele que é um aditivo para uma vida longa (LongLife na terra dele). LongPlay nasceu para os lados da Murronhenha, condado da Casteleira. Deslocava-se, na sua potente carroça equipada com bancos autocolantes, para o seu trabalho como marceneiro de contactos quando foi capturado pelos flambuzinos.

Está aqui na prisão vai para quatro meses e apesar de ser um recluso animado, ouvem-se com mais frequência os seus suspiros. Saudades dos velhos tempos em jogava à malha com a filha de um ourives nas terras altas de sobradelo da goma.

Ao fim do dia é vê-lo recolher à toca sempre acompanhado de Nimrod e Armand, são os três duques da prisão.

11 agosto 2005

Regalias

Existem prisioneiros que tem umas certas regalias, a principal regalia para mim é poder ir visitar a sua família durante três períodos do ano.
Eu, Armand e Nimrod infelizmente não podemos, temos de estar aqui presos até um dia de neblina. Não temos qualquer privilégios, é comer, levar no focinho e calar, ainda estamos aqui à muito pouco tempo. Eu gostaria de pelo menos ter uma semana de liberdade, seria muito gratificante e encantador, gostaria de passear perto do farol.
Nestes últimos meses, estou sempre a mudar de colegas de cela, felizmente posso vê-los mais tarde, porque voltam sempre um dia com cara de quem vão para o matadouro de Sandemundo.
Neste momento encontram-se dois prisioneiros da irmandade do bordel de liberdade, hoje vai mais um prisioneiro, que já sorri de tanta felicidade.
Foi decidido por alguns chefambluzinos que a irmandade, teria novas ferramentas de trabalho, seriam adoptadas ferramentas eclipsoides. Vai ser difícil a aclimatação, mas tudo vai correr pelo melhor.

Abade e Meiras

Abade e Meiras são dois reclusos da ala oeste, partilham uma cela de 1,5 m2 junto ao aviário. Abade e Meiras andam sempre juntos, como que unidos por uma cabo de rede invisivel. O flambuzino responsável por eles é uma estaca de 137 cm. Estes dois presos são castiços possuem orelhas gigantescas e andam sempre à procura de comunicações dos outros presos. Serão bufos?

O Taveira - Sim esse mesmo!

O Ta(à)veira (de um ataque de nervos) é um dos reclusos mais recentes.

Desde que entrou ainda não se adaptou e diz andar constantemente confuso com os maus tratos infligidos pelos Flambuzinos.

Mas ontem foi a gota de água, depois de tanta pressão, perdeu a cabeça, apanhou "FÉFÈ" no duche e ... exactamente isso mesmo que estão pensar.

SODOMIZOU-O À BRUTA!!

Diz ele que só tinha por hábito fazer isso às meninas interessadas numa boa nota, mas como FÉFÉ também era um interesseiro e graxista que fazia de tudo para agradar a LamaLama, resolveu dár-lhe igual tratamento.

Neste momento encontra-se na solitária isolado, para aclarar as ideias e fala-se por aqui que volta à sua cela na próxima terça-feira.

10 agosto 2005

A chegada dos flambuzinos à prisão

Todas as manhas chegam os flambuzinos nas suas naves especiais.

O FÉFÉ chega com o seu ar altivo e simpático, cheio de tiques dos jogos de basquetebol da NBA. A sua nave é composta por quatro circunferências na parte da frente e com um três na parte de trás, é também composto por quatro rodas em forma de círculo, feita de um material mole.

O LamaLama chega com o ar de quem não dorme á dias, que esteve a fazer outras coisas, é um guarda antipático mas muito bom rapaz. É aquele filho que eu não gostava de ter. A sua nave é um pouco esquisita, segundo os especialistas, a sua nave é para guardas prisionais do sexo feminino, os requisitos para a compra eram esses. Não sei como a comprou, como isto qualquer dia não se sabe o sexo dos guardas. É complicado hoje em dia.

O Motbrocas é o guarda prisional responsável por mim, é um rapaz muito agradável e bem parecido, mas que questiona muito os presos. Ele chega sempre com uma nave mais pequena que a dos colegas, é composta por duas rodas em forma de círculo, o mais esquisito é a nave dele estar aberta e apanhar com o vento na tromba, se calhar deve gostar de apanhar com coisas na tromba.

São estes os seres do mal que eu consegui ver a chegar à prisão aqui da minha cela.

O nascimento de Armand

Há sétima lua cheia do quinto ano da época dourada, um grito rasgou o silêncio nocturno. Numa pequena cabana, nas verdes colinas de Sandium, uma mulher arfava fortemente a cada contracção. As contracções tornavam-se mais violentas e frequentes, o nascimento estava para breve.

- Força, força. Encorajava a parteira.

A mulher reclinada, bufava e puxava e procurava no seu intimo uma réstia de coragem que lhe permitisse suportar as dores. Um tormento violento, mas brevemente recompensado pelo nascimento de um predestinado a grandes feitos. O nascimento de Armand.

Um grito de dor dilacerante marcou o nascimento do menino, os lobos distantes juntaram os seus uivos num festejo. As portas de uma nova era abriam-se à humanidade. Apesar de pequeno em tamanho, o destino reservara para ele grandes feitos. Armand possuía a marca dos deuses, uma forte barba rija que lhe cobria a face.

09 agosto 2005

DBA (Dose Brutal de Anfetaminas)

Na cela anexa à do LongPlay reside um vulcão prestes a entrar em erupção, o DBA. Este bicho possui uma tensão arterial elevadíssima, sobrevive de conjunto de dados que mastiga paulatinamente. O DBA sofre de hiper sensibilidade a flambuzinos e não são raras as vezes em que procuramos abrigo das suas fúrias.

O DBA foi aprisionado na batalha dos indecisos, onde lutava bravamente nas legiões comandadas por funtai. Na altura da sua prisão esmagava o crânio de um flambuzino balofo e desprovido de protecção capilar na cabeça.

Constam as lendas que DBA espancou selvaticamente, nesta mesma prisão, um enviado do gaitas, forçando a engolir o seu próprio regurgitado.

Recordações

Estou aqui sentado na minha cela, penso como seria tão bom estar apaixonado por uma mulher, como se encontra o Armand, pela empregada de limpeza da cela.
Eu estou muito solitário neste cubículo, de vez enquanto passa aqui uma guarda prisional que me deixa tolo, mas como é de outra religião e não sei se pertence aos maus ou bons, mas que levava com a santíssima trindade, à isso levava.

Lembrei-me de um belo dia em que uma luz cintilante e compassada - o farol que nos saúda. Começar uma jornada pelo planalto do Cabo e preparar a descida até às ondas, numa plataforma segura e aconchegante. E eis a visão de uma lua de prata, um enorme disco redondo que reflecte nas águas o seu brilho. Ouvir os sons das aves que sobrevoam os rochedos e olhando para o alto avistar as fragas recortadas no céu estrelado. Do lado do mar, ao longe, pontos de luz podem ser barcos de pesca ou contrabandistas à espera de algum desembarque. Finalmente deixar este lugar mágico e rumar ao topo em direcção à luz hospitaleira do Farol.

Após a minha recordação, penso como era tão bom estar a passear junto do farol, com uma boa companhia. Enfim a gente por vezes erra nas suas escolhas, tenho que cumprir estes anos de prisão e suportar todo este ambiente corrente, comandado pelo LamaLama.

Vou descansar e pensar como seria óptimo estar junto do Farol.

O antes...e o depois

Eu aqui na minha cela, cheio de fome e com uma enorme dor de cabeça por causa dos berros do DBA, que se encontra quase sempre com os tais seres macabros. As vezes até doi, de ver tanta a cacetada que ele leva. Estes seres que o visitam são ruins, muito mesmo.

Ao contrário o Armand encontra-se sempre sem preocupações, ele tem só um único flambuzino responsável que o desanca 2 a 3 vezes por mês.
É um ser cheio de sorte.

Ao contrário o meu padrinho, vê os seus fundos de investimentos no BES, é a uma pessoa com uma enorme capacidade de cálculo, só precisa de uma máquina de calcular. Com o seu ar presidencial é o ser que vou tentar seguir aqui na prisão.

Eu ao contrário o meu flambuzino responsável desanca-me 7 horas por dia, é um ser muito confuso, hoje quer uma coisa, amanha já é outra. Vem acontecendo coisas muito engraçada comigo e com o Funtai o grande chefe dos prisioneiros.



Agora que almocei, encontro-me com uma dor de barriga imensa, o alimento estava um pouco desprovido de artrópode que é a substancia que faz com que tenhamos pachorra para aturar os flambuzinos.

Vai ser difícil passar esta tarde, com tão pouca substância.

Idade das trevas

Há muitos, muitos anos, num tempo já esquecido nas brumas da memória, a humanidade caminhava livre na face deste planeta. Eram tempos de felicidade e paz em que os povos viviam em harmonia. A humanidade prosperava e evoluia sem conflitos. Uma época dourada havia sido forjada ... infelizmente não tardaria a ser vilipendiada.

O dia nascera sob o manto de um mau presságio, lá fora a chuva abatia-se violentamente sobre a terra e um vento frio e cortante fustigava a paisagem. O céu negro, carregado revelava o humor dos deuses. As forças das trevas, há muito esquecidas, estavam agora em marcha e nada nem ninguém deteria os seus arautos. Um frio arrepiante percorre-me a corpo. Algo de maligno havia despertado ...

O caos começou com a ascenção de LamaLama.

Padrinho - O místico

A prisão é um ambiente esteril, agreste e obscuro. Um raio de luz ultra violenta destaca-se da penumbra, é o padrinho que chega. Cabeleira farta à Al Pacino, curvatura aerodinâmica dos costados (numa postura agressiva de quem te faz já a folha), pulseira de material aurífero estilo Sinhozinho Malta.

Dotado de apurada capacidade para o ramo das letras escreve contos literários orientados ao objecto. Cada conto encerra em si uma maldição, o infeliz que o lê vê o seu cérebro liquedificar-se instantaneamente e os músculos retorcerem dolorosamente.

A cela do padrinho fervilha de vida com vários prisioneiros ansiosos por saberem a sua sina ou verem o seu futuro revelado no tarot. Dotado de bom coração é capaz de correr um flambuzino à chapada ou aos berros.

A irmandade do bordel - O regresso do rei

Escrevo sob a luz tremeluzente de uma pequena vela e em silêncio profundo, o mais pequeno ruido pode atrair a atenção fatal da espécie mais violenta e poderosa da prisão, o Armand.

Armand é uma criatura de porte atlético, dotado de um cérebro analítico poderoso. A natureza dotou-o de uma arma letal para as suas presas ... a venenosa barba facial pontiaguda. Ao mínimo contacto KAPUT.

Ups! Um barulho. Vou voltar para a minha toca rapidamente ...

A Prisão do DBA

DBA andava pelas terras do sul em busca do "El Dorado".
Esteve por lá cerca de quatro anos, a vida corria-lhe bem e dizia ele:
- Eu entrava ao meio dia e não trabalhava de tarde! Era fantástico!

Mas DBA sentia que lhe faltava algo na vida.
Sentia saudades do sotaque viril do norte, mas principalmente das francesinhas.

Regressou então com a ideia sempre em mente de papar uma boa francesinha.
Quando chegou às origens, arranjou emprego numa bibliografia. Trabalhava com livros dizia ele, mas o que realmente ele queria era ver gajas.
Certo dia conheceu uma miuda com sotaque franciú, de nome Bundia, viu logo ali a oportunidade de satisfazer o seu desejo:
-VOU PAPÁ-LA TODA!!!!

A tipa também engraçou com ele acabaram por se envolver numa noite tórrida de sexo à brutazana.

Mas quando tudo parecia correr às mil maravilhas, são apanhados naqueles propósitos por um dos flambuzinos, "O FÉFÉ", grande graxista do LamaLama, que para subir a ajudante-mor denunciou DBA por se envolver com Bundia, o amor platónico daquele.

Foi assim que DBA deu entrada na prisão e até hoje tem de suportar diariamente os castigos impostos por LamaLama sobrecarregando-o de trabalhos forçados.

Contudo todos os dias pela calada da noite DBA é visitado pela francesinha e continua a comê-la como forma de vingança.

Francesinha diz que DBA foi a melhor coisa que apareceu na sua vida pois diz ela, LamaLama não f...... nem saía de cima!

O Nimrod

Bicho raro este, costas do tamanho de quatro ou cinco celas, cabelo espetado alourado sempre com um copo preso nas cavilhas. É muito sensivel, especialmente a temas pedagógicos. Alimenta-se de renas mal passadas que devora com uma sofreguidão típica de quem vem do frio.

O Nimrod é a espécie mais high tech aqui da prisão, a carência de armas naturais (como a barba venenosa do Armand) forçou-o a adquirir competências extraordinárias na construção de armamento bélico a partir de pequenos dispositivos. Ainda no outro dia, dizimou trezentos presos armado com uma potente bomba construida com um simples cabo USB, um monitor avariado, três discos de 20GB e vinte CDs virgens.

Aparição

A sombra na parede retorce-se, tomando lentamente a forma de algo que se escondia no seu interior. Um parto das trevas ocorre sem que LamaLama se aperceba. Da penumbra irrompe uma garra poderosa, apalpando o ar como quem tenta sentir as formas de um objecto no escuro. Com um esforço violento Metimelium salta das trevas materializando-se na frente de LamaLama.

Atónito, LamaLama observa a enorme figura negra que o fita. Os olhos vermelhos de fogo irradiam uma maldade para além da compreensão humana. O terror começa a apoderar-se de LamaLama.

Metimelium é um demónio superior, um arauto especial das forças mal a quem foi encarregue uma tarefa fundamental no plano global de conquista do mundo. A missão de Metimelium é recrutar um peão, fácil de manipular. LamaLama o escolhido.

- LamaLama, tenho um desígnio para ti! A voz grave, profunda e cavernosa de Metimelium trespassou LamaLama, como uma faca quente a cortar manteiga.
- ... pa ... pa ... pa ... para mim ?! Gaguejou amedrontrado LamaLama.
- És o escolhido, executarás as minhas ordens e não falharás. Vociferou Metimelium

Num gesto forte e decidido, Metimelium arremessa para o colo de LamaLama, um rolo de papiro.
- Abre e lê! Ordena Metimelium.

Com as mãos suadas e trementes, LamaLama desenrola o rolo e começa a ler. O seu futuro está ali traçado a letras côr de sangue.

O sonho de LamaLama

Gotas de abundante suor escorriam pela face de LamaLama, os movimentos bruscos e os grunhidos denunciavam um sono atormentado. AAAHHHH! Grita erguendo-se num movimento brusco e rápido. Sentado na cama, respiração ofegante e profunda, LamaLama observa o seu compartimento. Está aqui alguém, pensa. No entanto nada vê para além da imundice reinante. Acaba por se acalmar.

- Foi apenas um pesadelo. Pensa ele.
- Estou sozinho, assustei-me com o pesadelo. Procura reconfortar-se. Já passaram várias décadas desde o seu último contacto com seres humanos.
Imagens de Bundia vêm à memória e dos tempos felizes que viveu a seu lado. Bundia era gentil para com ele, dava-lhe estaladas de amor e deixava-o carregar os seus fardos.
- Bundia, bundia! Suspira

Imerso nos seus pensamentos, LamaLama não se apercebe que a sombra na parede começa a ganhar forma. Afinal, não estava sozinho no quarto.

O Acordar

Hoje pelas 6.30,
acordo cheio de sangue na minha almofada, penso que foi um dos flambuzinos que me sugou tal matéria orgânica. Eu fiquei muito chateado com tal facto ocorrido, devido ao facto de precisar de sangue para viver este dias na prisão. Eles não necessitam de tal matéria, vivem à base de um liquido raro e incomum que existe em garrafeiras de alto gabarito chamadas de Garrafeiras bicho geográficas, esse liquido tão raro é chamado de Leitorina Dermatose Serpiginosa 86. Este liquido segundo eles, é composto por vermes que são chamados de: Teníase, Cisticercose, Ascaridíase, Esquistossomese, Ancilostomose, Cisto Hidático, Oxiurose,Enterobiose e Tricocefalíase com o decorrer dos anos os vermes vão melhorando de qualidade e quantidade, tornando-se capaz de eliminar tudo que é massa cinzenta dos flambuzinos.

Eles se calhar pensam que ao sugar-me sangue, poderiam ter mais dessa massa tão preciosa, mas penso que não existe volta a dar.

Essas criaturas tão macabras são de tal forma incapazes que isso não chegaria. Existe uma coisa que me chateia muito, é essas criaturas estarem sempre a falar de nós, mas prontos é comum em prisões do género.

Tenho ainda a dizer que tenho saudades da Josefina Maria, penso que ela chega em breve. Estou cheio de saudades, já estou a ficar com marreca.

Até breve

08 agosto 2005

A minha evolução

--> Aos 5 anos, desejava ser piloto da força aérea, mas desde logo percebi que não seria fácil concretizar esse meio sonho. Só alguns conseguiram realizar esse sonho.

--> Aos 10 anos, queria ser Primeiro Ministro de Portugal, para acabar com os foguetes em Portugal, pois perdi muitos amigos por causa dos foguetes.

--> Aos 15 anos, queria pertencer ao clube do coelhinho, como segurança das miudas daquele metie. Gostava mt do programa do metie e tire que dava na SIC ao sabado à noite, era um divertimento agradavel, inesquecivel.

--> Aos 20 anos, queria ser um execelente profissional na área de informática.


Agora que me encontro aqui na prisão, não tenho rumo de vida. Encontro aqui pessoal com cifilis, cirose, AIDS, Herpes Genital, Gonorréia, Candidíase e Hepatites. Tenho apenas um consolo que é a guarda prisional a Josefina Maria, dou em cima dela ás quartas e sextas feiras. O Mazao, é ás segundas e terças e o Joseph Maluto que é senegales da em cima dela os restantes dias, pois segundo ela tem o bernardo de 32 cms.

A minha vida é um nostalgia, tou xeio de ca estar, custa passar ca os dias. É só comer, beber, dormir, dar no ferro, e como disse anteriormente 2 vezes por semana dar em cima da Josefina, que esta semana encontra-se hospitalizada pois encontra-se com uma Vaginite gonocócica, é muito boa rapariga porque partilha tudo o que tem. Muito boa moça. Mando-lhe daqui um beijinho, sei que ela vai ler porque tem net em casa. Ai fica uma foto da grande mulher.




Por hoje é tudo, amanha escrevo mais um bocadinho.

A Luta

Mais do que qualquer outra família a irmandade do bordel desde que entrou no território dos flambuzinos luta incansavelmente para a libertação e o nascimento da nova raça humana.

Funtai, homem íntegro, honesto e lutador, desde que entrou nesta prisão passou anos de sua vida, sofrendo por causa dos seus ideais. A Irmandade foi perseguida e sofreu dolorosas consequências. Mas seus seguidores tornaram-se portavozes na luta contra os flambuzinos, essa espécie em vias de extinção.
Nasceu lider Funtai, homem simples de ideias grandes, recrutou homens íntegros para a irmandade formando assim parcerias na luta anti-inteligência dos flambuzinos.

Inspirou milhões de jovens a lutar contra as leis no reino da podridão. Comandou greves, liderou conferências, redigiu manifestos e falou ao povo. Tudo começou em 2004, Funtai entrou para a liga dos justiceiros e juntamente com outros dois companheiros (GodFather e DBA), fundou a irmandade do bordel. Planeava campanhas de massa e formulava estratégias. Liderou a campanha do Desafio, que levou uma massa de 200 mil pessoas às ruas.

No final da manifestação foi preso onde se encontra vai para dois anos.

Um mês após de reclusão, revoltou-se contra as forças malignas e optou pela vida "underground".
Armou a irmandade e decidiu lutar com as mesmas armas do inimigo.

A partir daí a luta passou ser "olho por olho, dente por dente"!

A irmandade do bordel

O terceiro piso da prisão é bafiento e sombrio, o cheiro de putrefacção intesifica-se sempre que os flambuzinos decidem fustigar-nos. Os flambuzinos são uns seres curiosos, dotados de uma apurada falta de intelecto e munidos de uma suprema vocação para a estupidez, evacuam diariamente uma infinidade de pedidos que os presos devem cumprir.

Os flambuzinos vivem em comunidade fechada, consta que a homossexualidade predomina, mas não há evidências científicas. São chefiados por um membro atarracado, de aspecto vil e nojento, que se baba fortemente. O método de escolha do lider é por contagem de matéria orgânica intestinal alojada no cérebro, o flambuzino mais abonado é promovido a chefe.

À primeira vista os presos são vítimas indefesas destes predadores, no entanto a sobrevivência só é possível pois a natureza foi generosa no dia da distribuição da inteligência.